Quando poucas palavras são suficientes


Três horas da madrugada, numa festa. Toca o meu celular.

– Ayana, onde você está?

– Fala mais alto! Eu não estou te ouvindo! O som está muito alto!

Desligo o celular e não atendo mais.

Três horas da madrugada, bêbada. Toca o meu celular.

– Ayana, onde você está?

– Não se preocupe, depois eu te ligo!

Desligo o celular e não atendo mais.

Três horas da madrugada, fazendo sexo com qualquer um. Toca o meu celular.

– Ayana, onde você está?

– Como se você realmente se preocupasse…

Desligo o celular e não atendo mais.

Três horas da madrugada, fumando maconha. Toca o meu celular.

– Ayana, onde você está?

– Estou fugindo de você!

Desligo o celular e não atendo mais.

Três horas da madrugada, chorando. Toca o meu celular.

– Ayana, onde você está?

– Só agora que você chegou em casa? Não importa onde eu estou, contanto que não esteja com você! Não quero que me ligue mais!

Desligo o celular e não atendo mais.

Três horas da madrugada, sozinha no meu quarto. Toca o celular dele. Uma vez, duas vezes, dez vezes. Ninguém atende. Escrevo uma mensagem no celular:

“Pai, onde você está?”

E mais uma vez, fiquei sem resposta.

(Sobre a autora, clique aqui)

Também no blog:

Depravação fragmentada

Fortes desilusões por ideias fracas

(PS: Esse é o 50º post do blog! Por favor, comente aí, vai! ^^)

Anúncios

10 comentários sobre “Quando poucas palavras são suficientes

  1. bia sempre estive aqui leio tdo dia coisa que ñ sou boa de comentar pois acho q comentar é fraqueza gosto falar diretamente a pessoa pra ela ter o direito de se defender ou responder mas sempre que eu puder vou estar aqui mesma q fiq em silencio saiba q te amo de um jeito q faria de tdo por vc desejando o seu melhor ñ vejo nda deq vc tenta mostrar acho q a vejo como 1 menina linda q se esconde em algo de adulto q da vontade de cuidar e proteger vc desperta isso em mim te adoro

    • Oi, meu bem!
      É muito bom tê-la na minha vida (acho que é essencial, na verdade). Quando estou com você, não me sinto nada sozinha, nem desprotegida. Você me tornou uma pessoa muito melhor, num momento em que eu pedia para que me destruisse. Agora quero mesmo que aconteça apenas coisas boas comigo para poder ficar sempre ao seu lado.
      Beijos e obrigada por comentar!

  2. De mim não pode reclamar, já comentei aqui antes e sempre leio o blog. Mas esse post voce poderia ter ambientado melhor, eu pelo menos achei um pouco dificil de entende-lo. Bom, espero te encontrar mais online, ta dificil ultimamente.

    • Só posso reclamar por não ter comentado mais vezes (no momento em que eu escrevo isso, você tem uma média de um comentário a cada 25,5 posts).
      Mas não entenda isso como uma cobrança, é só brincadeirinha (com um fundo de verdade)! ^^
      O texto não foi muito bem ambientado para não ficar muito longo. E também porque eu quis passar apenas uma ideia principal (concordo que acabou ficando meio confuso).
      Fico muito agradecida por prestigiar esse blog (volte várias vezes, todos os dias e leia tudo mais de uma vez ^^)! Obrigada pelas críticas (vou melhorar minha forma de escrever)!
      Beijinhos, beijinhos =*

    • Eu tive tantos problemas com minha família, que tenho até que ficar me policiando para não colocar a culpa neles por tudo de errado que acontece comigo. Eu só não escrevo mais sobre o meu pai, porque eu fico chateada de lembrar umas coisas. Mas com certeza ainda haverá muitos posts tratando sobre esse assunto.
      Obrigada pela sugestão!
      Beijos, beijos!

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s