Diário de uma amante assanhada


Setembro de 2005

A cada dia que passa, eu me sinto mais apaixonada pela Larissa. Comecei a perceber isso porque não deixo de pensar nela, exceto nas horas em que faço coisas erradas. Mas nos últimos dias, tenho me comportado até bem, já que estou passando mais tempo ao seu lado. É a pessoa perfeita para eu depositar todo o meu carinho, porque ela sim corresponde às minhas declarações de amor (diferentemente da minha dona). Dessa vez, não quero falar sobre a outra, nem sobre o meu dia e muito menos sobre o meu pai! Hoje decidi que essa página inteirinha vai ser da Larissa, tanto que já andei desenhando uns corações e uma vaquinha. Tenho certeza de que ela iria adorar esse meu desenho!

Vou confessar aqui que estou muitíssimo ansiosa para chegar logo a noite em que faremos amor. Não, ainda não tem nenhuma data marcada, mas algo me diz que será por esses meses. Já andei fantasiando tudo que vai acontecer! Um jantarzinho romântico com muito vinho, porque eu a quero bem embriagada. Acho que só assim mesmo para ela concordar em fazer sexo comigo. Ok, eu até aceito que me chamam de precoce e tudo mais, só que, veja bem, ela já tem 15 anos e eu nunca, nunca, nunca a vi falar em pau na boceta (ou boceta com boceta, no nosso caso)! Ela nem mesmo manda os meninos tomarem no cu (absurdo!)! E eu lá dando o meu para esses caras (outro absurdo!)… será que ela não sente tesão por garotas?

Às vezes me parece que a Larissa se faz de sonsa, porque não é possível que ela não perceba quando estou excitada! Ontem mesmo ela estava vendo televisão deitada no sofá com os pés no meu colo. Aí, eu fiquei lá lhe fazendo uma massagem e rapidamente me subiu aquele tesão. Como quem não quer nada, comecei a dar leves beijinhos em seu pé. Percebi que ela ficou um pouco desconsertada, mas bem sabia que no fundo aquilo lhe agradava. Apostando nessa hipótese, arrisquei lambê-los e, num ato reflexo, ela logo afastou os pés do alcance da minha boca. “Para, Ayana, deixa de ser assanhada!”. Pois é… pensando bem, ao que parece, ainda vai demorar para minha língua passar por entre suas pernas. Odeio ficar esperando. Ah, quer saber? Foda-se! Já está decidido, nós vamos fazer amor agora!*

*Ainda não fizemos amor (23/09/10).

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios

2 comentários sobre “Diário de uma amante assanhada

  1. Olá Ayana! Continuo lendo e adorando seus posts…

    Será que todos guardamos reminiscências de um amor adolescente? Eu, cada vez mais, me convenço de que estamos todo mundo no mesmo barco… Só não dividimos o peso uns com os outros.

    Continue escrevendo! Abraço!

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s