Motivação para novos reencontros


Depois que saí de casa, nunca mais voltei a usar o meu nome verdadeiro, por associá-lo a passagens traumáticas que eu estava vivendo no momento em que decidi recomeçar a minha vida. Posteriormente, esse novo nome que assumi seria empregado para se referir a uma profissional do sexo, sendo esta ocupação o ícone mais expressivo dessa minha nova identidade. A puta que se entrega nos programas sempre fez parte da minha realidade, a diferença é que, uns três anos atrás, eu encarava um árduo conflito em aceitá-la ou reprimi-la. Atualmente…

“Oi, pessoal! Eu me chamo Ayana e sou uma prostituta!”.

O programa de quinta-feira passada terminou mais cedo, mas em vez de voltar para casa, decidi ir sozinha a um pub só para beber um drink rapidinho. Não estava nos meus trajes mais discretos; usava um microvestido preto de tecido leve que evidenciava um pouco a ausência de sutiã. O vestido era provocativo, contudo minha mente já havia sentenciado que naquela noite eu iria me comportar direitinho. Para me convencer disso, logo de cara, dispensei uma proposta mal intencionada de um rapaz aparentemente interessante. Quando não me entrego ao sexo, meu prazer vem por outros meios e, nessa noite, queria buscá-lo através das bebidas.

Enquanto bebia no balcão, escuto uma voz e um nome que me soam muito familiar. Na hora, fingi não dar muita atenção, porque não tinha certeza se era alguém conhecido que estava me chamando. Depois de ouvir o meu nome verdadeiro, essa mesma pessoa pronunciou um infame apelido que me deram na época de colégio. Eu não estava preparada para isso; olho para trás e reencontro a Renata, uma amiga de infância que estudou comigo durante uns oito anos. A minha saudade era tão grande, que logo comecei a perguntar tudo sobre a sua vida, me esquecendo, porém, que em seguida ela me faria os mesmos questionamentos.

“Onde você está morando agora? Você já começou a trabalhar? Qual curso você está fazendo?”. Eu até que sou eficiente na hora de inventar mentiras, mas para mantê-las e não cair em contradições, sou uma completa negação. Não sei se ela realmente acreditou que eu esteja morando numa cidade do interior, fazendo estágio numa editora de revistas e estudando jornalismo. Inventei uma história bem tradicional, isto é, criei a vida perfeita que se poderia esperar de uma garota com a minha idade. É muito cômodo recorrer a falsidades para se criar uma “realidade” ideal, mas uma dor muito grande se seguiu ao constatar o fato de ela realmente vivenciar experiências parecidas com as minhas mentiras.

Eu havia me esquecido completamente das minhas amigas. Desapareci da vida de todas e só agora me reencontrava com uma delas. Quero notícias de cada uma, sem ter que informar nada sobre mim. Poucas vezes me senti verdadeiramente constrangida por ser uma vadia, porque as pessoas a quem eu me apresento não sabem de nada do meu passado, não imaginam que ainda sou aquela garota tímida que mal conversava de sexo com as colegas. Para a maioria delas, seria inimaginável seguir por essa vida a partir das minhas origens e da época em que convivemos juntas. Em todo caso, estou certa de que quero revê-las, ainda que precise esconder alguns detalhes e falsificar outros. Bem agora desperto aquele meu antigo nome; quero correr atrás das verdadeiras amizades.

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios

10 comentários sobre “Motivação para novos reencontros

  1. Oi garota!
    Já li todo o seu blog e o tenho em meus favoritos. Não entendo bem o porquê, mas mesmo tendo vidas tão diferentes, eu me identifico contigo.
    Quanto a essa idéia de procurar o passado:ESQUEÇA!
    Você fez a sua opção em ser uma outra pessoa, em recomeçar em outra vida. Portanto aquela vida não existe mais e não tem porque ficar remexendo nisso. Essa procura só vai te trazer dor e sofrimento. Esqueça essa infeliz coincidência ao reencontrar essa amiga. Ela é passado e tem que ficar lá.
    Se o seu pensamento for “mudar” a vida atual, então lute pra isso, mas retornar jamais!
    Nesse post a minha identificação contigo foi total. Já passei exatamente pela mesma situação: mentiras aceitáveis como verdadeiras, torcendo para que eu não me esqueça de nada depois e não me enrole……
    Bjs

    • Oi, Milie!
      Eu fiquei pensando no que você escreveu, e pelo por enquanto, eu não voltei a entrar em contato com essa minha amiga. Acho que quando escrevi o texto estava meio deslumbrada com toda a situação e não pensei direito nas consequências. Eu ainda não sei bem o que vou fazer, mas agradeço imensamente pela sua ajuda.
      Beijinhos, minha querida! =*

  2. Oi princesinha,

    Eu concordo um pouquinho com o Millie. Sei que as saudades apertam, mas isso só traria muita mágoa para você, porque elas acabariam por descobrir e lhe chamariam de “vadia”, o que nas palavras de um homem desconhecido até é excitante, mas na boca de uma amiga de infância é horrível. Bastava estar você num café dizendo como ia sua vida de jornalista e aparecer um antigo cliente. Mesmo que você dissesse que ele a havia confundido, é óbvio que elas ficariam com “a pulga atrás da orelha” (eu não sei se se usa essa expressão no Brasil…), ou seja, curiosas.

    No entanto, se a vontade de falar com elas for mesmo grande, mais vale que esse reencontro seja online. Assim dá-lhe tempo para criar mentiras sem precisar disfarçar sua cara e também dá para rever que mentiras disse no histórico. Assim, sempre sabe de novidades de suas colegas e o risco de ser descoberta não é tão grande.

    Mas, princesinha, por favor, tome cuidado. Mexer assim com o coração e antigas recordações é muito perigoso. O Amor é um sentimento traiçoeiro, você o deseja mas mal ele possa ele te dá uma facada de que você não se recupera. Por favor, pense bem no que quer fazer… Não quero que saia magoada disso.

    Beijinhos com muito amor
    Soraia

    PS: Eu também tenho um carinho muito especial por você, princesinha. (:

    • Oi, Soraia!
      Eu acho que você está certa. Provavelmente, por causa da forma como eu estava vestida, ela deve ter desconfiado de alguma coisa. Embora eu não estivesse muito vulgar, eu fiquei encanada com isso. Depois eu fiquei pensando também que se qualquer uma das minhas amigas descobrirem o que eu faço, essa informação vai chegar de alguma forma a todas as pessoas que estudaram comigo. Eu vou seguir o seu conselho de tentar manter contato com elas apenas por internet, arrumando desculpas para não encontrá-las. Ai, querida, são tantos fatores que eu tenho que ponderar! Isso me deixa muito perdida =/
      Estava com saudades de você!
      Beijinhos com todo o meu amor!

  3. Sobre nomes: é uma pena que não revele seu nome “verdadeiro” (de garota de programa).
    Certamente, ganharia muito dinheiro com isso. E também clientes cativos.

    Claro que isso teria um preço…

    De qualquer modo, quem “pagaria” o preço (em reputação) seria a garota de programa, e não a “amiga da Renata” (a pessoa com nome, CPF, pai e mãe, etc)…

    Não sei se é a melhor solução: só quem calça o sapato, sabe onde ele aperta. Mas espero que pelo menos, você considere a possibilidade, e pese os prós e contras.

    • Oi, Ricardo!
      A vantagem de não revelar o meu nome é a liberdade de escrever qualquer bobagem, sem que isso prejudique minha imagem com os clientes e outras gps. Mas eu fiquei pensando em criar outro blog com meu contato e escrever textos mais… ficcionais, por assim dizer, já que a intenção seria agradar a qualquer perfil de potenciais clientes. O problema é que esse blog é o meu xodó e mesmo assim não estou dando muita atenção a ele.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos, beijos! E até mais!

  4. Já aconteceu algo parecido comigo , de inventar uma historia no que sou, no que estou fazendo para pessoas conhecidas, vc disse que inventar mentiras ate vai, mas mantes vc e´uma negação, eu ate consigo manter a historia e tal, mas la no fundo será que eu mesma acreditei? Sera que as mentiras q contei são para dar a resposta a alguém conhecido ou para vc mesma criar uma ilusão, uma fantasia?

    eu concordo com que a Millie e a Soraia escreveram para vc, em especial as ultimas frases da Soraia ” O Amor é um sentimento traiçoeiro, você o deseja mas mal ele possa ele te dá uma facada de que você não se recupera. Por favor, pense bem no que quer fazer… Não quero que saia magoada disso”

    é preciso ficar bem atenta, nao conseguimos mandar em sentimentos.

    bjs pra vc minha linda

  5. Quer noticias delas? Faz um fb fake, e tenha noticias. A vida muda pra todo mundo, se afastar delas é preconceito da sua parte sobre o que você se tornou, até porque você não sabe se alguma se tornou empresária, nem se outra esta numa cadeira de rodas em algum lugar do Brasil. SEJA VOCÊ, e tenha que você ama, ou amou, perto de você, e de verdade, faça novos AMORES.

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s