“Sim, senhor(a)!” – primeira fase como submissa


Com 15 anos de idade, já estava completamente deslumbrada pelo universo BDSM. Todos os dias, entrava em sites de sexo para ver fotos de submissas indefesas sendo impiedosamente açoitadas. Tinha até um grande acervo particular dessas fotos no meu computador – lembrando que sou da época da internet discada; mas graças aos avanços tecnológicos, hoje vivo entupindo o meu HD com vídeos ainda com a temática sadomasoquista – o qual consultava quase todos os dias, coincidentemente, bem naqueles momentos íntimos em que explorava a sensibilidade do meu corpo. Saudades dessa fase quando bastavam algumas imagens para atingir o orgasmo…

Naquela época, eu tinha uma vida sexual relativamente movimentada e, por incrível que pareça, já dava sinais de que estava desgastada do sexo convencional. Logo me despeço de minha fase de putinha mirim, agora eu queria ser uma escrava sexual. Essa decisão mudou completamente minha forma de agir diante das relações sexuais; a partir de então entre quatro paredes eu estava completamente disponível para ser abusada, acatando atenciosamente a cada desejo perverso daqueles quase dominadores. Será que alguém consegue adivinhar o que eles mais queriam? Coitadinho! Nem dá para imaginar como o meu cu sofreu nessa época.

Não adianta! Se você, minha pequena submissa, deseja ser dominada de verdade, é bom se relacionar com alguém que conheça BDSM. Comecei a procurar por dominadores nas salas de bate-papo de sadomasoquismo. É necessária muita paciência, porque boa parte dos internautas entra no chat com fins onanísticos, achando que basta enviar mensagens com as palavras “cadela”, “vadia” e “puta” para levarem as submissas ao MSN, onde elas obedecerão a todos os seus desejos e ainda por cima exibindo-se pela webcam. Submissas não são, necessariamente, mulheres fáceis, viu? Bom, mas eu também não poderia ficar me fazendo de difícil, porque tinha um detalhe que desestimulava alguns dominadores e incitava alguns tarados a me conhecer: eu era menor de idade.

A Paula foi a minha primeira dominadora via internet. Mesmo estando distante, ela exercia bastante controle sobre a minha vida. Ela tinha a senha do meu MSN, conhecia toda a minha rotina durante a semana e sabia até quais tipos de roupas eu tinha no meu armário. Quase sempre eu lhe mandava algum e-mail para contar sobre como havia sido o meu dia e também para pedir sua autorização para sair à noite, por exemplo. Com o tempo, deixei de usar calcinha, apanhava de chinelo no seio e no bumbum toda semana e, sempre que conversávamos, eu tinha que deixar um prendedor de roupa em cada mamilo e algumas vezes na ponta da língua, para ficar babando.

Tenho uma habilidade muito singular de me envolver com pessoas bem esquisitas, e essa domme não era nenhuma exceção. Com meus quinze anos, eu era uma pré-adolescente muito idiota, consequentemente, atendia a qualquer pedido, por mais bizarro que fosse, sem fazer um questionamento sequer. Achei muito lindo quando ela me mandou uma ilustração de uma mulher completamente nua envolvida pelos caules de várias rosas, cujos espinhos perfuravam seu corpo. Essa imagem, que atualmente me parece bastante perturbadora, era o fundo da janelinha do MSN por onde eu fazia minhas declarações de amor à minha dominadora.

A segunda imagem que ela me enviou era de um demônio com formas femininas bem sensuais, sentado num altar com as pernas abertas. Minha mente deveria se apropriar dessa imagem como uma representação da minha dominadora, para tanto, eu fui obrigada a me masturbar todos os dias observando apenas esse desenho. Nunca acreditei em céu e inferno, então não me preocupava em gozar diante da figura feminina do diabo. O que realmente me deixou perturbada, foi numa noite em que conversávamos, e ela ordenou que eu ficasse apenas de biquíni. Em seguida, mandou-me buscar o lixo da cozinha e esfregá-lo no meu corpo. Enfim, sem mais detalhes, só digo que a obedeci.

Um dia, fui conversar com ela no MSN e, para a minha surpresa, era a filha dela que estava no computador. Se não estou enganada, ela tinha 14 anos. Em nenhum momento, a nossa conversa aludiu a quaisquer conteúdos sexuais; estava apenas trocando ideias do cotidiano com uma menina da minha idade. Numa completa ingenuidade, comentei com a minha senhora sobre esse evento, e ela ficou bastante furiosa. Ficamos algumas semanas sem nos falar, até o dia que ela entrou no MSN apenas para me castigar. A minha punição seria bater com um chinelo no meu nariz até sair sangue. Não me lembro exatamente de suas mensagens, mas sei que me deixaram muito assustada. Ora, nunca obedeceria a esse último pedido! E assim, também jamais voltamos a nos encontrar.

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios

77 comentários sobre ““Sim, senhor(a)!” – primeira fase como submissa

  1. Oi princesinha,

    Eu gosto que me dominem, mas não dessa forma… Eu gosto mesmo é do contacto entre dominador e submisso, que me façam ceder ao sexo e ao prazer, mesmo não querendo. Mas isso é muito difícil, porque eu sempre quero! Quero que abusem do meu corpo, quero que me obriguem a chupar ou a me pôr em determinada posição, quero que me façam gozar quando devia implorar para me soltar! Quero ter medo e raiva no início e acabar por ceder aos prazeres “carnais” no final! O problema é que só consigo fingir que me quero soltar, que não quero aquilo, não consigo realmente sentir… Que maçada…

    Esse tipo de submissão online que não envolva contacto físico com dominador me deixa desconsolada… Não aprecio mesmo. Apesar de não deixar de atingir o orgasmo, me satisfaz muito mais o contacto físico, sinto prazer só de sentir mãos alheias a tocar no meu corpo. Ser eu mesma me deixa frustrada.

    Há muito que não a via falar de BDSM. Como você mesma disse, esse tema se tornou muito frequente na sua vida desde sua infância. Deve ser difícil com seu trabalho arranjar alguém que lhe satisfaça esse seu carácter submisso. Normalmente, é mais fácil encontrar submissos que dominadores. Essa dona me deixou meia assustada. Com uma filha da sua idade e fazendo isso consigo… Não consigo deixar de pensar como me sentiria se fosse sua filha ou se descobrisse que minha mãe andava fazendo isso… Uma mãe tem de ter responsabilidades. Seria muito fácil para a menina encontrar algo no pc da sua progenitora que a traumatizasse para o resto da sua vida!

    Beijinhos para você e boa sorte a satisfazer suas fantasias. (:

    Soraia

    • Oi, Soraia!
      Dominação virtual é bem diferente daquela em que há contato físico, sendo que eu também considero esta mais excitante. Por outro lado, dominação virtual é mais prática e, no meu caso, eu nem precisava me expor muito. Eu gosto muito quando outras pessoas abusam do meu corpo, mas também consigo me proporcionar muito prazer quando faço isso sozinha. Às vezes, sou excessivamente sádica comigo mesma.
      Como é um pouco arriscado, eu não digo para os meus clientes que eu gosto de BDSM. Mas dependendo do perfil do cliente, eu peço para me dar uns tapinhas e quase sempre peço para meterem mais forte. Quando o sexo é muito delicado, dificilmente consigo gozar.
      Querida, muito obrigada pela sua presença aqui no blog!
      Beijinhos muito especiais!

  2. Menina… que gosto hein…. como dizem, não se discute…Só digo que temos que fazer o que nos dá prazer.

    Mas o fato de ter começado tão cedo não é legal, pois infelizmente quando somos menores de idade não temos muita noção do que fazemos, e isso pode nos afetar emocionalmente mais tarde. Então busque fazer coisas que gosta, mas faça o máximo para que isso não afete seu emocional, e nem deixe isso se tornar mais forte do que a busca por sua felicidade.

    Gostei muito do seu blog, me adicione no msn para trocarmos figurinha. saiadessavida@hotmail.com.

    Beijos

    • Oi, Kelly!
      Eu tenho fantasias sexuais muito exóticas mesmo ^^
      Bom, eu já passei da minha fase de completa imaturidade e realmente, por eu ter começado muito cedo, acabei cometendo muitos erros, sendo que alguns ainda me afetam emocionalmente. Tento afastá-los, pensando nas experiências mais excitantes.
      Muito obrigada pelo comentário!
      Beijinhos e até mais!
      PS: Atualize o seu blog mais vezes! ^^

  3. Muito bom seu artigo.
    Revela um linha. Ainda que imaginária num começo já distante ela produz reflexos quando há questionamento pelo prazer.
    O importante é perceber que o fetiche vem do berço, está grudado na alma e vai ficar lá pra sempre. O que excita através da palavras soltas num chat vai traduzir os mesmos efeitos quando exercitado face to face.
    As diferenças serão claras, há o contato carnal, mas o assunto jamais será desconhecido.
    O que vale no fundo é se sentir bem realizando as fantasias. E se aos olhos alheiros elas forem taxadas de pervertidas e inadequadas, problema de quem acha, prazer de quem as realiza.

    Bom te ler de novo
    Grande Beijo
    ACM :)

    • Oi, ACM!
      Bom, não sei dizer exatamente com que idade comecei a ter pensamentos fetichistas, mas eu me lembro que na minha infância eu já era um pouco masoquista, embora não soubesse o significado disso. E como você disse, todos esses fetiches vão me acompanhar durante toda minha vida, então quando eu procuro um relacionamento, sempre levo em conta se a pessoa tem uma afinidade com as minhas práticas sexuais.
      O bom de ser uma menina muito pervertida é que posso ir atrás das minhas fantasias, sem me sentir culpada. E ainda tem muita coisa que eu quero conhecer…
      Foi muito bom receber mais um comentário seu. Espero que não fique mais tanto tempo sem me visitar! ^^
      Beijinhos, beijinhos e até breve!

  4. A sua escrita é muito boa, adiciona uma complexidade aos personagens e à linearidade dos fatos que torna impossível questionar a história.
    Acho que é chato comentar sobre “a escrita”, já que o texto tem tanto mais a oferecer, mas realmente não tenho mais nada pra falar.

    Abraço,
    até mais.

    • Oi, Ítalo!
      Eu acho que os personagens em si já são muito complexos. Eu mesma não consigo me entender e muito menos entender aquela minha dominadora. Para tanto, escrever é a minha maneira de tentar compreendê-los, até porque eu não quero passar uma imagem muito confusa para os leitores. Às vezes não é possível…
      Espero que também tenha gostado da maneira como escrevi os outros posts, embora eu não mude muito o meu estilo de escrever… enfim… adorei receber o seu comentário!
      Beijos, beijos, beijos!

  5. Princesinha eu gostraria muito da sua ajuda…
    o negocio e o seguinte:sou dominador e ja faz algum tempo que estou procurando uma ou mais mulheres aqui em Brasilia que queiram ser sexualmente dominadas SEM violencia.Ate coloquei anuncios na net mas as duas unicas mulheres que responderam meu anuncio “deram pra tras” e desistiram sem miores eplicaçoes.Desde entao mi nenhuma apareceu.Sera que voce nao poderia me ajudar a encontrar uma submissa?Tenho preferencia por mulheres que tenham os seios grandes e meu e mail pra contato e drtaylor2010@yahoo.com.
    obrigado

  6. Ínfima princesinha, esse negócio de sadomasoquismo é mesmo muito intenso e enigmático. Comecei a me masturbar com 7 anos imaginando que açoitava escravos. Depois essas fantasias foram evoluindo para coisas bem tensas que começaram a bater de frente com a ética. Por isso, na adolescência fiz um esforço sobre-humano para sublimar essas fantasias e o que acabou acontecendo foi que o pólo se inverteu. Pelo menos parcialmente. Muito bom ler seus posts e comentários sobre o tema.

  7. Acabei de conhecer seu blog em minha busca por esse universo sadomaso. E revelo ele se aflorou depois de 50 Tons de Cinza, mas eu desde adolescente me masturbava imaginando pessoas me mandando e isso atpe hoje. Enfim, estou a procura de um dominador, não sei até onde eu vou com isso, mas pelo menos uma experiênciazinha na realidade quero ter. O difícil é achar um dominador inteligente. Se souber avise-me por favor.

  8. confesso que é a primeira vez que vejo seu blog, foi num momento de curiosidade que comecei a pesquisar o assunto, apos ter ligo cinquenta tons de cinza, na minha completa falta de informação, nunca imaginei que existisse, e pior que iria me interessar pelo mundo de sub e dom, vou continuar lendo seu blog quem sabe assim eu me conheça mas, é apavorante a ideia de gostar daquilo q não deveria gostar…..sou casada por isso digo isso.

    • Olá Princesinha,sei q falamos faz tempo, atraves do chat, Essa é uma mens. pra ti , caso conheça ou venha a conhecer alguem com a mesma procura. e resposta á mensagem da Maria .
      Oi,Maria.
      Sou um Dom a procura de uma escrava sub ( sei que sou mais um dentre tantos,)Mas se vc como iniciante deseja algo que possa acima detudo sentir-se segura, e de forma muito saudavel, fisica e psicologicamente, peço que me envie seu msn por e-mail pra mim, Se vc tentar me add , meu msn nao consegue aceitar.Podes tentar,mas peço que envie uma mensagem tb. (feitor_40@hotmail.com )
      Não queria ser assim,mas sou e a a atração fisica é um fator indispensável ..se não tolar quimica,tesao, atração… dificilmente poderá rolar a dominação.Aguardo ansioso . abraço.

  9. Ola Princesinha!
    Estou iniciando como Sub e ja percebi que é muito dificil a busca por um Dominador, como tenho pouco conhecimento fica um pouco ainda mais dificil localizat um Dominador serio e que saiba dominar, por favor Princesinga de-me um auxilio. Desde
    ja agradeço

    Meu email prar contato desireesub@bol.com.br

  10. Quando me interessei .por esse assunto achei q era submissa mas descobri q sou dominador…não gosto de receber ordens sinti prazer em mardar e ser obedecida…mas ainda nao tive nenhuma esperiencia concreta sobre essunto .mas estou a procura…de novas experiência …bj

  11. Tens a alegria de poder me conhecer, e para isso serás recompensada com palavras carinho e puro êxtase, sua respiração ofegante revela o medo do que não podes ver, e o prazer pelo inesperado, o mundo é aquilo que vc vê e o que vc vê é o que vc é, portanto faça deste mundo o seu “eu” dentro de vc e descubra o tamanho de ser uma submissa dentro de seus parametros com sinceridade, segurança e discrição (safe word). se queres ser iniciada mande seu email com reais e sinceras palavras que te faz sentir ou pensar que és uma submissa ou ser iniciada.. Isto não é sexo e nem transa é uma pratica do seu “EU” e sua real vontade em subimissão..o respeito é tudo. Abraços e sucesso DOM INESQUECIVÉL (DomELO).. para as interessadas amigomesmo92@hotmail.com.

  12. Olá bem me comparo um pouco com você, sou virgem mais desde a adolescencia me sentia tentada a desejos sexuais ( do tipo puxao de cabelo em uma tranza muito dura) e ter que andar na linha certa. Então eu não conhecia o BDSM só conhecia o Sadomazorquista e quando fui pesquisar, pronto! ate hoje me exito vendo fotos e videos e desejaria encontrar um DOM de verdade e ai o que eu faço esqueço ou tento entrar nesta fantasia.?

    Me ajude !

  13. Olá princesinha.

    Achei muito bom o seu artigo e me ele me levou a várias indagações para as quais eu não tenho as rezpostas.
    Em primeiro lugar, eu sempre me considerei um pervertido no que diz respeito à dominação: gosto de humilhar, de punir, de submeter a parceira. Isto se contrapõe muito com a minha natureza cotidiana baseada nacordialidade e respeito. Mas, sexualmente falando, me sinto muito a vontade dominando.
    Fui casado por duas vezes, sendo que no último, eu tinha uma dificuldade muito grande no relacionamento porque minha parceira era sexualmente muito muito voluntariosa e extremamente limitada a qualquer nova experiência.
    É claro que, num relacionamento desta natureza e, com a imaginação pervertida a mil, me relacionei com um cem número de outras parceiras, algumas das quais, em parte, me satisfaziam as minhas necessdades.
    Pelo seu relato e, pela pouca experiência que tenho, me parece que as mulheres de pouca idade se sentem mais confortáveis ou suscetiveis a serem dominadas, embora, não raramente tivesse encontrado mulheres de mais de 30 anos com uma pegada mazoquista, que passava desde o fisting até uma certa dose de maus tratos.
    A questão de me envolver com menores de idade é algo que está fora de cogitação, pois embora eu não tenha filhos, sou ético ao extremo com relação a legislação e também por ser professor, respeito todas as questões éticas inerentes do meu ofício. Então, o que me resta é buscar por jovens acima dos 18 anos para escravizar.
    Atualmente, eu vivo um relacionamento bem aberto, mas a minha mulher é meio fraquinha para dores, embora me atenda em algumas exigências básicas.
    Ela, inclusive está muito interessada em ter uma relação com outra mulher, na qual eu já estabeleci a minha condição de participar. No entanto, queria que fosse com alguém subimissa a mim, alguém que fosse minha escrava e que satisfizesse a minha fêmea também.
    A minha maior dificuldade é saber aonde encontrar mulheres que tenham esta característica e, que a assuma, como você faz aqui. Porque, convenhamos, isso não é fácil de ser admitido abertamente e, esperar que o acaso me encontre, é algo complicado e demorado. E eu tenho uma certa pressa nisso.
    No entanto,continuo a procurar. Se você tiver alguma dica, agradeceria.
    Beijos

  14. Sou Dom-Diciplinador-Sadico.Hétero- Busco uma Mulher disposta a submeter-se por prazer.Se vc deseja realizar-se como Mulher,sendo usada,cadelizada,vastigada,humilhada e abusada,escreva para mim……Sou paciente,calmo de atitude.Sei os limites de uma sub e respeito,para se torna minha cadelinha,obediênte e calma….entre em contato…Sou do interior de BH,OK…..fguimaraes473@gmail.com

  15. Adorei seu relato! Sou Dom a mt tempo… compartilhei o relato com uma amiga, (tbm Domme) a qual ficou louca p entrar em contato com vc! Vc pode me seguir pelo face: senior hangman. Já o contato com ela é: domme.pandora. Bjs!

  16. Princesa, eu na verdade adoraria demais ter um dominador NOVAMENTE, pois o meu que lógico, era fisicamente e não virtualmente, aconteceram uns motivos, ficaria honrada se me adicionasse no SKYPE (Deehxa) ou no e-mail Dezac2015@yahoo.com para quem sabe conversarmos! Sou uma Switcher, (sadomasoquista) já fui por pequeno tempinho, Dominadora, e podemos conversar sobre tudo

  17. Belo Mestre Dom Lu, morador de Brasilia, 1,78 77 kg olhos verdes branco em forma, busca escravas submissas que desejem ser adestradas na servidão ao seu Mestre, busco somente escravas bem resolvidas.
    Sou bem resolvido, moro só, bom nível e especializado em BDSM COM dominação Anal profundo, acessem luuciflex@yahoo.com.br encaminhe whatsapp para contatos
    ou acessem direto(61)99638-1012

  18. Belo Senhor e Mestre Dom Lu, moro em Brasília 44 anos 1,78 branco em forma exigente e especialista em BDSM com tecnicas apuradas em DS e ANAL PROFUNDO com Humilhação e servidão total das escravas submissas. Busco escravas submissas que desejem servir e serem cadelas putas do SENHOR DOM LU. acessem escravas subs de Brasília e de outros estados que possam vir até o seu DOM e MESTRE. (61)996381012

  19. Quero conhecer mulher que sente desejo de ser submissa.Antes acertamos os limites das fantasias.Mas quero sua calcinha ensopadinha de tesão
    Procuro mulher fogosa, que esteja carente e queira me conhecer para amizade ou quem sabe intensos momentos de prazer sexual, para realizar seus desejos mais íntimos, revelar seus segredos e te satisfazer plenamente.|Não tenho problemas de ereção mas adoro longas preliminares, para deixar sua calcinha ensopada.
    claudiosorocaba@bol.com.br
    Tenho excelente nível .Inicie contato mediante e mail acima em referência

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s