Porque a vida não pode ser tão boa


A noite era perfeita quando saía para festas, dançava por algumas horas, bebia e cheirava, fazia sexo com vários parceiros e voltava para casa para descansar. Mas imediatamente começava mais um dia de praxe: com um pouco de ressaca, dores pelo corpo e uma enorme indisposição até mesmo para me levantar da cama. Geralmente, no horário de almoço, alguns clientes solicitam uma trepadinha rápida; nem sempre muito excitante, porque – na ausência de ânimo – meu envolvimento é quase nulo. Se não houvesse tanta movimentação, dormiria ali mesmo, naquele quarto, para acordar apenas no final da tarde. Vou almoçar por volta de umas cinco horas, quando a fome supera minha preguiça de cozinhar qualquer coisa prática com sabor industrializado. Depois, ficaria o resto do dia no computador, ou apenas fumando maconha, se não tivesse que tomar banho e me arrumar para, mais uma vez, dar o meu bumbum.

Durante algumas semanas, vivi sempre esses mesmos dias apáticos, que produziram apenas reflexões de como a minha existência estava miserável. Mas não era para estar assim! Antes de mergulhar em melancolia, nunca estivera tão satisfeita com a minha vida. Não tive muitos desentendimentos com meus contratantes nem com a patroa, fiquei mais amiga das minhas colegas de profissão, realizei algumas fantasias sem arrependimentos e – também bem importante – os acessos do blog aumentaram um pouquinho. Inclusive, estava até me encantando pela prostituição, colorindo qualquer um dos meus relacionamentos em tons de rosa e azul. Seria o paraíso? Bom, se não tivesse subido tão alto, a queda não seria tão violenta. No chão, ou no fundo do poço, meu único sentimento era de revolta. Por que, mesmo quando tudo parecia estar bem, eu não consegui alcançar a minha paz? Ora, se a vida estava muito boa, então, as noites teriam mais é que ser perfeitas!

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios

16 comentários sobre “Porque a vida não pode ser tão boa

  1. Oi, amiga
    Muita gente pode ler esse texto e pensar “se a puta acha que está no fundo do poço, por que não larga essa vida?” Como se isso fosse fácil… e como também se vc quisesse.

    Também não vou dizer que vai passar e vai ficar tudo bem. Não, enquanto vc não mudar certos hábitos, atitudes. Você mesma disse no texto anterior: “começo a me curvar diante da evidência de que alguns hábitos precisam ser desconstruídos. Como de costume, fui convencida pelo meu corpo; este que muitas vezes me levou a excessos, hoje quer impor certos limites. Eu sabia que esses sinais se manifestariam, entretanto, não esperava confrontá-los com tanta antecedência”

    Vc deve realmente impor certos limites, por mais que seja difícil. Tudo em excesso é ruim. Trabalhar em excesso em ruim, beber em excesso é ruim… Eu adoro beber, quem não gosta? Mas tem que ter limite. Acho que vc está vivendo um desequilíbrio. Se estudamos demais pra uma matéria e deixamos as outras de lado, o que acontece? Você pode se ferrar nas que deixou de lado.

    Então busque equilíbrio. Cuide da sua mente, tenha uma hora pra relaxar e cuide também do seu corpo, se alimente melhor, de forma mais saudável, em horários regulares. Faça algum esporte. Eu também não gosto de academia, acho muito chato, mas me obrigo a malhar. Sei que me faz bem, fico mais disposta.

    E por fim, faça mais sexo sem obrigação, só pelo prazer. Por exemplo, adoro ir pra balada e pegar alguém que acabei de conhecer.

    Espero que tudo fique bem. Beijos!

    • Oi, Rafa!
      Agora eu estou com a minha vida um pouco mais equilibrada; mas ainda tenho meus momentos de excessos. Tem umas coisas que ainda não consigo resistir =/
      Já organizei um tempinho para sempre descansar e também fiz sexo sem obrigação recentemente. Eu nem tinha me ligado que fazia muito tempo que eu não dava de graça para um desconhecido. Valeu a experiência! =)
      Muito obrigada pelo apoio! E muitos e muitos beijos!

    • Oi, Ari!
      Eu sei que algumas vezes as bebidas e as drogas foram um problema na minha vida. O mais saudável seria eliminá-las de vez, mas prefiro buscar apreciá-las com moderação. Em determinadas situações, a sobriedade estraga por completo o ambiente então não dá para negar algumas doses.
      Enfim, mas não é um caso tão alarmante quanto possa parecer.
      Beijos, beijos e até mais!

  2. A vida é boa, é bela.Veja só, estou lendo; com muito prazer um belo texto escrito por você Ayana! Aliás, quem poderia escrever tão bem sobre sua vida íntima? Isso é motivo de felicidade, baby!!! Problemas todos nós temos, o importante é termos força suficiente para superá-los com galhardia e levar a vida adiante; sempre fazendo sexo e amor e tendo muitas histórias de gozo e prazer para contar! Beijos.

  3. Ayana,

    Depois de um certo tempo de vida, a gente aprende algumas coisas. No meu caso, uma das mais úteis é saber que tudo é mesmo transitório. É clichê, mas a vida é mesmo de fases. Não tem jeito. Não sabemos quanto elas duram, mas podemos ter certeza de que elas passam.

    A boa notícia é portanto que se hoje você está no fundo do poço, aconteça o que acontecer, basta estar viva, uma hora de lá você sai. Óbvio que não estou sugerindo que fiques estirada no chão de casa esperando esta merda passar. A Rafaella foi perfeita: se você acha que algo precisa mudar na sua vida, comece mudando algo na sua vida… E não se trata mesmo de “sair desta vida de puta”, mas de correção de hábitos e de atitudes. Não tem mágica.

    A má notícia é que as fases boas também passam. “Por que, mesmo quando tudo parecia estar bem, eu não consegui alcançar a minha paz? Ora, se a vida estava muito boa, então, as noites teriam mais é que ser perfeitas!” Por que? Porque simplesmente o que nos ocorre agora não garante, ou garante muito pouco, que assim será daqui a pouco, amanhã, daqui a um ano, ou pra sempre… Estou te sugerindo que não “suba tão alto”, que não se deixe entusiasmar com a fase em que vc “nunca estivera tão satisfeita com a sua vida” só para evitar uma “queda não tão violenta”? Não! Definitivamente não. Curta intensamente estes momentos, até porque eles passam… só isso. E muito menos fique ansiosa com o fato de que eles irão passar, porque em algum momento, depois novamente da baixa, isso volta, e vai embora, e volta… Entendeu onde quero chegar? A única coisa garantida que temos é a mudança.

    Isto posto, vamos à prática. De novo a Rafaella disse muito bem: “então busque equilíbrio”. A lista dela é perfeita. Não tenho o que tirar nem por. Mas vou tentar te ajudar um pouco mais.

    Acredito que o que te daria forças para mudar seus hábitos e atitudes, abrindo um espaço na sua vida para, por exemplo, a lista da Rafa, no teu caso poderia ser o “seu sentimento de revolta”. Absurdo? Não.. O que o mundo espera de “uma puta que está no fundo do poço” , de uma menina sem família, de uma “drogada”, de uma devassa? Que mais dia menos dia ela se afunde por não “largar esta vida”, que se definhe física e psicologicamente, que enfim SE FODA por não ser como a gente “normal e de bem”. Ora, não dê razão ao mundo. Use a energia que a revolta te dá e leve a vida que quiser, se prostitua, ganhe dinheiro fazendo sexo, se divertindo, mas não deixe o mundo dar margem aos seus preconceitos e a estas previsões de senso comum. Seja altiva, cuide de si, exiba uma saúde de dar inveja a esta gente “de bem”. Maneje a sua inteligência e a use contra toda esta gente imbecil que não tem mais por onde caber nesta Terra. Não deixe que te humilhem. Para isso você precisa manter-se forte, física e psicologicamente, sã e equilibrada. Isto é aprendizado, amadurecimento, é difícil, mas faça por você, faça até por despeito, revolta, pra ser do contra, só pra contrariar o senso comum que diz: “tá vendo… também com esta vida que ela leva… só podia mesmo ter depressão, fuder com a saúde, se acabar engordando ou emagrecendo, ser uma rejeitada, blá, blá e blá …”

    Você é muito especial e tem uma vida toda pela frente, mas você vai ter que tomar conta dela. Ninguém vai fazer isto pra ti.

    Beijos e espero MESMO que tudo fique bem!

    • Oi, Marcelo!
      Acho que eu aprendi bem a me revoltar contra tantas coisas, que realmente isso me motiva a lutar pelos meus ideais. Pode ser teimosia também, por medo de ter tomado outras decisões erradas. Independente disso, imagino que ficaria bastante orgulhosa de superar todas as previsões trágicas que muitas pessoas me alertaram. Mesmo se eu me foder em todos os sentidos, pelo menos passei por experiências que me fortaleceram.
      E pode relaxar que agora estou mais atenciosa com a minha jovem vidinha!
      Beijos, beijos e que tudo fique bem para todos nós! \o/

  4. Ah.. os excessos… eles são impiedosos e uma hora cobram o preço. Particularmente me julgo teimoso demais para me atentar ao meus, mas aos poucos acabo sedendo as evidencias e recuo para me restabelecer. Haja disciplina. Mas enfim, há momentos como esses em que colocamos nossa força em ação. E uma coisa eu admiro: a força interior que voce deve ter para ultrapassar as dificuldades peculiares que as situações proporcionam. É preciso ter saude para a prostituição. Torço para que mantenha a sua sempre boa, ok?

    beijos!

    • Oi, Alemão!
      Sabe, eu também sou muito teimosa para aceitar que algum dos meus hábitos me faz mal. Aí a gente começa a sentir uma indisposição, um pouco de perda de memória, dores no corpo e depois de isso passar com alguma frequência, aí eu começo a me readaptar. Acontece que, como ainda me sinto jovem, esses problemas parecem um pouco distante da minha realidade e por isso muitas vezes eu me arrisco tanto. Não deveria, porque sou bem dependente da qualidade do meu corpo para exercer essa profissão. Bom, espero deixar de fazer tanta coisa errada =/
      Obrigada por comentar! Beijos, beijos! =*

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s