Toda a atenção para minha xana!


Estava deitada na cama com as pernas abertas e o quadril levemente arqueado para cima, oferecendo ao espectador ajoelhado um enquadramento de destaque nas minhas partes íntimas. Desta vez, eu também exibia um plug de seis centímetros de diâmetro atolado no meu cu. Mantenho um relacionamento muito próximo e afetivo com meus brinquedos de gente grande, a ponto de ter o costume de andar plugada atrás. Este daí, preenchendo um vazio em minhas entranhas, é um grande companheiro. Além de me dar prazer, também deixa meu rabinho relaxado e hospitaleiro com as diferentes varas presentes no meu ofício. Há algum tempo, resolvi que o plug enfiado no ânus faria parte da minha caracterização como garota de programa. Mesmo os clientes que não me comeram atrás aprovaram meu rabinho recheado.

Carregar um brinquedo dentro de mim serve para estimular a curiosidade do cliente. É o mesmo que dar uma pecinha cilíndrica para uma criança encaixá-la num buraco circular. No jogo para acima de 18, as peças são maiores, com formas geométricas nem sempre bem definidas, e os buracos aparentemente mais estreitos. Sempre espero que meu parceiro queira descobrir como é o objeto escondido no meu bumbum. Como são poucos os potenciais clientes que leem meus posts, não vou me preocupar em conter os spoilers. Eu uso um plug de metal de uns dez centímetros, cuja parte mais grossa tem o formato de uma coxinha e na base, ou seja, a parte que fica para fora, tem um cristal cor-de-rosa. Foi adquirido especialmente para os programas. Muito lindo para mostrar aos clientes, mas um pouquinho pesado para sair andando com ele por aí.

Exibia meu botãozinho de cristal e, para minha surpresa, o sujeito não pareceu dar muita atenção. Demonstrou bastante interesse, é verdade, pela minha xana, por onde sua língua deslizou durante muito tempo. Estava delicioso, entretanto, gostaria de senti-la em outras partes do meu corpo também. Ele poderia lamber o meu cu, que naquela hora estava piscando tanto que quase expeliu o plug. Empinei o meu rabinho para aproximá-lo de sua boca e ainda dei uma reboladinha. Em vez de pedir, prefiro insinuar meus desejos na cama. Identificadas as afinidades, aí sim considero adequado para uma boa profissional fazer pedidos aos clientes. Por exemplo: quando estou de quatro levando estocadas, é comum o cliente dar tapas no meu bumbum. A partir da iniciativa do primeiro tapa, pode apostar que logo menos irei demandar pelo segundo, pelo terceiro mais forte e por mais um, caso ele não tenha notado que pode me bater várias vezes. Se percebo que a empolgação é recíproca, me arrisco a pedir para também baterem no meu rosto, nos seios e na xana.

Nem sempre o resultado de minhas provocações é positivo. O suave movimento pendular do cristal cor-de-rosa parecia não ter propriedades hipnóticas. Ele permanecia deslumbrado pela bocetinha rosinha, lisinha, quentinha e molhadinha. Não dá mesmo para resistir, né? Ok, eu entendo, mas ele já tinha aproveitado bastante, e eu simulado dois orgasmos. Para realmente gozar com sexo oral, preciso sentir e interagir mais com o corpo do meu parceiro. “Quer me chupar, tudo bem! Mas eu posso te chupar também?”. Para mim, a cláusula “felação” sempre constou no contrato sociossexual. Era difícil me imaginar passando pelo constrangimento de implorar por um boquete. Se mesmo assim o cara não aceita, fico emburrada o programa inteiro.

– Posso chupar seu pau também?

– Agora não!

Nunca estou preparada para respostas assim. Sou uma garota mimada que não aprendeu direito a lidar com reações negativas. Paro de gemer e rebolar, fecho a cara – fazendo até biquinho – e o resto do programa torna-se uma má vontade só. O cliente havia adiantado que não me foderia, então mais uma vez, voltei a pensar: “ele poderia lamber o meu cu”. Não sou de pedir práticas polêmicas para quem me contrata. Quando me dão espaço para dizer o que quero, a resposta tradicional é: sexo anal e gozada no rosto e na boca. Determinei para os programas uma zona segura para minha safadeza. Se fosse mais ousada e transparente, suplicaria para ser amarrada, chutada, pisoteada e humilhada das formas mais escabrosas conhecidas pela humanidade. Diante dessas fantasias, uma lambidinha no toba seria um perfeito tranquilizante.

Preciso conhecer as preferências do consumidor para avaliar com segurança os meus pedidos. Conforme fui me profissionalizando, ficou cada vez mais evidente a diferenciação entre sexo e programa, que é o serviço prestado por mim. Neste caso, obviamente, dou prioridades à satisfação do contratante a ponto de abrir mão do meu prazer. Não acho que compense me sacrificar tanto, porém só tenho noção de que o programa é lastimável após o cliente ter acertado meu pagamento. São os ossos do ofício. Lembro-me de quando, no começo da minha carreira, um homem perguntou se eu gostava de beijo grego. Prontamente, respondi que sim, porque na hora imaginei que ele usaria a boca. Foi então que ele ergueu os quadris, abriu as nádegas e expôs o rego peludo. Não sou de recuar em minhas palavras, então fechei os olhos e caí de boca.

Sem muita experiência, os arrependimentos eram recorrentes e inevitáveis. Hoje tudo é bem diferente. Há situações em que o grau de depravação sexual é proporcional ao meu prazer, o que me leva de volta àquele impasse: além de um sexo oral eterno, o que mais o cliente estaria disposto a fazer? Descer a língua para meus glúteos não parecia lhe apetecer, embora meu cuzinho estivesse limpinho, macio e com cheiro de morango. Pensei em lambuzar minha xana com leite condensado ou usar aquelas bombinhas de sucção para deixá-la sobressalente. Logo me convenci de que não valeria o esforço. Se saísse do quarto para pegar as coisas em casa, não iria mais querer voltar. Também era desnecessário expor minhas intimidades para um estranho, cujo rosto mal conseguiria identificar, pois ficara quase o tempo todo escondido entre minhas pernas. Quando faltavam alguns minutos para terminar o programa, simulei um último orgasmo de cortesia e afirmei que havia sido uma chupada inesquecível (porque pareceu durar uma eternidade).

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios

35 comentários sobre “Toda a atenção para minha xana!

  1. Oi Ayana! Gosto tanto do jeito como escreve e acabo me identificando muito. Teria muito do que comentar, mas vou tentar não escrever demais…

    “simulei um último orgasmo de cortesia e afirmei que havia sido uma chupada inesquecível (porque pareceu durar uma eternidade).” Tive que rir!! rsrs
    Também acontece comigo… Também fico entendiada se ficam me chupando por muito tempo. Pior ainda quando é aquela chupada sem pressão, parecendo lambida de cachorro, aff! A saída é mesmo fingir orgasmo pra ver se para. Mas, às vezes, quando estou a fim,eu até ensino o coitado a chupar como eu gosto. Tem uns que aprendem, outros que não… Ai eu mando parar!! E parto pra cima dele pra chupar. Nunca aconteceu uma negativa de receber boquete… Mas como vc, também sou mimada, não sei receber respostas negativas.

    Falando em boquete, dia desses um cara só queria que eu chupasse… Fiquei quase meia hora chupando e nada do cara gozar…. E ele queria mais… Já pensou 1hora chupando rola???!!! Por mais que eu adore chupar, também vai me irritando. Fora que o maxilar dói né… Tudo que demora em programa me irrita! Se o cara tá metendo e também demora… Começo a ficar ansiosa. Aff,,, Deve acontecer também com vc,

    “Há algum tempo, resolvi que o plug enfiado no ânus faria parte da minha caracterização como garota de programa. Mesmo os clientes que não me comeram atrás aprovaram meu rabinho recheado.”
    Kkkkkkk Queria muito ver isso!!

    • Rafaella diz:
      *duas putas conversando
      *as mazelas da sua atividade profissional
      *kkkkk
      ———
      ayana diz:
      *É triste mesmo quando o cliente só quer boquete
      *Eu chego a deitar meu rosto no pênis dele para ficar descansando
      Rafaella diz:
      *nossa o cara keria eu chupando 1h
      *ele nao gozou
      *teve uma hora q eu falei… cabou o tempo
      *dae ele.. eu nao gozei
      ayana diz:
      *Adorei o comentário, Rafa
      Rafaella diz:
      *eu falei… vc pagou 1h
      *trabalho por tempo
      *ele ficou irado
      ayana diz:
      *Já passei por isso também
      Rafaella diz:
      *irado nao… ele nao gostou
      *perguntei.. vai pagar adicional??
      *ele disse q nao.. dae eu vim embora
      *cara chato
      ayana diz:
      *Eu tinha um pouco de receio de discutir com o cliente
      *Mas agora eu aprendi
      Rafaella diz:
      *se ainda fosse simpatico
      ayana diz:
      *Tem uns muito folgados mesmo
      Rafaella diz:
      *eu fazia gozar de outro jeito por cortesia
      ayana diz:
      *Esses que só querem uma coisa, nunca são muito simpáticos
      Rafaella diz:
      *ja aconteceu do cara demorar a gozar e eu ficar mais…
      ayana diz:
      *Quando você faz muito garganta profunda o seu estômago não fica sensível?
      Rafaella diz:
      *com certeza
      *da vontade de vomitar varias vezes
      ayana diz:
      *Então, teve um cliente que só queria oral
      *No começo eu coloquei o pau dele todo na minha boca
      *Só que depois de um tempo, eu estava muito enjoada e não conseguia mais
      *Senão eu ia vomitar
      *Aí ele ficou me forçando aí eu briguei com ele
      Rafaella diz:
      *brigou como??
      ayana diz:
      *Mais ou menos, na verdade
      *Falei que ele era muito mal educado =/
      *E disse que chuparia do meu jeito

      • Eu particularmente acho que entre “cliente” e “garota” deve haver respeito e deve-se evitar colocar grana durante a relação, evitando ao máximo a caracterização de sexo pago. Um pouco de fantasia não faz mal a ninguém não capitalizando o ato sexual. E o cliente deve ter habilidade e respeito em valorizar a garota como pessoa que é, tratando-a muito bem em todos os sentidos.

    • Já transei com uma garota que, na primeira das duas vezes que transamos ficou me chupando sem parar por uns 40 minutos. Eu que pedi pra parar pra meter. Descanso. O segundo round começou com a iniciativa dela.. já foi direto chupar meu pau. Dessa vez olhei o relógio quando começou… ela ficou exatamente ma hora chupando meu pau sem parar (por vontade própria). Eu novamente que pedi pra parar, pra meter (e gozar, já que dificilmente gozo só no oral), pois eu tinha um cineminha marcado com uma amiga e precisava ir. Ficamos 4 horas juntos das quais pelo menos 1:40h foi ela fazendo oral. E confesso que isso se tornou positivamente inesquecível. Costumo dizer que para o homem, receber sexo oral nunca é demais, a menos que ele seja minimamente bem feito.

      • Inevitavelmente, quando li o seu comentário, a primeira coisa que passou pela minha mente foi: “Nossa, o seu pau deve ser uma delícia” ^^
        Eu adoro chupar, mas é cansativo e não tenho fôlego para tanto tempo assim. Um detalhe curioso: se fosse para ficar uma hora direto, eu prefiro fazer a receber.
        Beijos!

  2. Tirando a parte do programa, que parece ter sido bem “chocho”, admito que achei mto excitante essa parte:
    “Quando me dão espaço para dizer o que quero, a resposta tradicional é: sexo anal e gozada no rosto e na boca.”

  3. Mui comovido fiquei ao ler sua decepção por não ter seu cu chupado pelo cliente. Porém, para evitar futuras decepções, você deve entender que para o homem mediano o cu é um ente profano e cercado de mistérios. Explico: D’us proíbe o homem de copular com a cavidade inviolável, seja com o falo, a língua ou o dedo; se o seu cliente era cristão, está explicado porque ele não se aventurou pelo baixo orifício.

    Não podemos esquecer que para alguns homens – eu incluso – o cu não exerce nenhum tipo de fascínio ou repugnância. Tenho o costume de uptilizar os serviços de suas colegas de trabalho, e o sexo anal não é exigência minha ao contratar os dotes de uma rapariga. Se durante a fodelança eu estiver demorando para gozar, peço o cu para arrombar, pois é mais apertado; caso eu me saptisfaça apenas com a xereca, sequer dou atenção ao roscofe. Além disso, como um amigo me confidenciou, existe uma condição “sine qua non” para que ele coma um cu: este deve ser róseo ou no máximo escarlate; cus de coloração cinza, marrom, pardos, pretos e cor de hamburguer antes de fritar não lhe servem sequer para apreciação estéctica.

    Há também o factor de dominação do macho sobre a fêmea. Sendo o cu considerado órgão não apto à práctica sexual, o objectivo do macho ao penetrar o fedegoso nada mais é do que ver a mouça, antes digna e pura, tornar-se suja e objecto dos prazeres mais vis que ele pode imaginar. Dar prazer à mulher pelo cu é algo fora de cogitação pelo dominador. Seu cliente, sabendo que você já é puta, e sabendo que você sentiria prazer ao ter tuas pregas acariciadas, negou-te a língua (deixando claro que o facto de ele ter tentado te dar prazer pela buceta não entra em contradição com o facto de ele negar-te prazer pelo cu, pois a cópula vaginal representa para o homem um acto deífico, digno e honroso, ao oposto da cópula pelo arquétipo inviolável, que é sujo e amaldiçoado).

    O factor higiene não pode ser desconsiderado da análise; você citou que seu cu estava limpinho e cheirando a morango, porém, como disse Bocage na poesia Ó Formosura, “Caga o cu mais alvo merda pura”. Talvez seu cliente tenha nojo de cus, actidude esta natural e prudente.

    Minha digníssima ex-namorada, quando eu lhe pedia o cu, dizia-me com muita elegância “enfia uma vela de 7 dias acessa no teu rabo, e você vai entender poque não quero dar o cu”. Desde então, tenho certa cautela ao pedir o olho de porco a uma donzela. Talvez seu cliente tenha passado por uma experiência parecida e seja receoso de desbravar um cu sem que antes a mouça lhe ceda a permissão.

    Espero que meu tratado tenha te ajudado a entender a mente do putanheiro padrão e seus motivos para não se aventurar pelo túnel profano da luxúria.

    Há braços.

    • Oi, Aluno Assustado!
      Seus comentários são incríveis e me inspiram a escrever sobre bastante coisa!
      Tenho que admitir que sinto uma atração fora do comum por sexo anal. Até hoje o sentido disto não está muito claro na minha cabeça, mas acho que tem a ver com o contexto de dominação do macho sobre a fêmea, conforme você pontuou, e por ser uma região gera nojo em algumas pessoas. Os clientes procuram numa prostituta o chamado “sexo sem frescura” e, realmente, é algo que me sinto bem capacitada para oferecer. Gosto de ultrapassar os limites aceitáveis do sexo conservador.
      Eu achei o caso deste cliente singular. Existem aqueles que tem nojo do meu corpo, porque se pressupõe que eu tenha sido usada por vários homens. Então ele não vai fazer sexo oral, nem me beijar em hipótese alguma. O sujeito deste post estava me chupando com tanto vigor, que achei que ele não tivesse receio em explorar mais o meu corpo com a sua língua. Fiquei desiludida porque achei que ele fosse mais safado =(
      Realmente, eu me preocupo em compreender a mente dos putanheiros, por isso agradeço muito a sua excepcional contribuição! =)
      Beijinhos!

      PS: Se me permite uma sugestão, acho que deveria trocar o seu nick para “Professor Assustado”, porque seus comentários são muito precisos e didáticos. Eu adoraria se você me desse uma aula de semiologia do cu! ^^

  4. Adorei o detalhe do plug! Tenho uma fantasia de levar uma garota para passear com um plug dentro de si.

    Ayana como faço para entrar em contato contigo? Não sei de que cidade do RS tu és, mas se possivel gostaria muito de me tornar teu cliente

    Umbeijo nesse cuzinho piscando, que adoro chupar. Principalemnte com sabor de morango!

  5. Poxa, nao demora tanto pra escrever não… eu, pelo menos, não aguento esperar tanto pra ler seus “causos”.
    Segue insisto em querer conversar com vc … quero aprender sobre Sado e Maso
    Bjaum

  6. Quando quero ter a pussy chupada, apelo e pago um garoto de programa – homens comuns só chupam buça grande, grelhuda e rosada; jamais vagina marronzinha!!!

    p.s.: sabe que você escreve português bem direitinho, blogueira?!

  7. Oi, pessoal!
    Por favor, gostaria que mais pessoas comentassem sobre o que acharam do novo layout do blog (atualmente com o fundo da página preto, página branca, título preto e texto azul disposto em uma coluna). Para quem viu o layout anterior, qual deles vocês preferem? Estou muito indecisa! Ainda tem uns dois temas que eu achei que ficaria legalzinho…
    Bom, espero a avaliação de vocês! =)
    Beijinhos!

    • Oi! vou te dar uma trégua. Tem um monte de msg minhas que vc não respondeu no MSN. Mas vou falar do novo layout… Olha, ele é bonito, mas acho que não combina com o seu assunto. A tipografia, as cores, os elementos gráficos, o tamanho das letras, tudo transmite um caracter muito convencional e familiar… enfim, o outro tinha uma identidade mais outsider, mas underground, mais punk… me entende? Este conjunto gráfico aqui me parece mais um blog de uma garota ou garoto que fala de bonecas ou videogames… não de sexo, prostituição e conflitos psicológicos. Não sei se consegui me fazer claro, mas olhando pra este visual, e lendo os textos, sinto uma dissonância, algo não encaixa….
      Não vejo problemas em você procurar outro visual, mas acho que tem que ser algo mais dark…. entende?

      Beijos!

    • Gostei da mudança no layout; mas com tanta coisa boa pra se ler será que o layout é mesmo importante? Mudanças sempre são boas mesmo que seja o visual. Seu blog continua bombando. Beijos.

  8. Eu entendo bem isso, mas o pior é quando você tem que ficar chupando. Foi por 1h! Minha boca chegou a ficar dormente e eu quase vomitei um monte de vezes porque ele queria que eu engolisse todo o pau dele. Um saco, mesmo!

    Adoro o teu blog (mesmo nunca comentando, rs)
    E adorei o novo layout, ficou menos carregado.
    Beijos!

  9. Sou apaixonada pelos seus textos!! *-*
    Vc sabe, eu sempre me interessei pela prostituição e aqui eh o unico blog q mostra o lado bom e ruim da profissao.
    Fazia tempo q eu nao entrava aqui e seus posts mais uma vez prenderam minha atençao! u.u
    Tbm gostei mto do layout novo, mas acho q a letra do texto deveria ser preta.
    Te adoooro!!!

  10. Olá Ayana, descobri seu blog dia desses pesquisando sobre um possível futuro na prostituição, se não me engano foi no post do que uma prostituta pensa sobre profissionais de “luxo”… A partir de então fui ler o seu blog, e impossível me identificar tanto, vou fazer um breve relato de minha vida, 20 anos, entrei em crise há alguns meses larguei a faculdade (medicina) cai em uma depressão maior que o normal, quase tentei suicídio, mas fui covarde pra ir até o final(nem pra se matar a
    desgraçada presta) e ai adivinha a gracinha
    onde todos botavam expectativas de um futuro brilhante mostrou o quão fraca, inútil, indigna como sempre foi, ela só deixou isso aparecer…
    A minha veia masoquista anda aflorada, me descobri uma lazarenta que sempre tentou se fazer aos moldes de sua mãe, mas que quer sucumbir nas mãos de alguém que queira te maltratar, a busca por prazer na dor tem me chamado muita atenção nos últimos tempos e eu me identifico muito nisso com você, nunca achei nenhum dominador, mas agora estou
    depositando nisso uma possível possibilidade de me mostrar que ainda vivo…
    Desculpa me extendi demais, esse é o espaço para comentar seu maravilhoso blog, e não desabafar

    • Oi, Melaniee!
      Gostaria que você escrevesse mais sobre si mesma. Para mim, comentários como o seu são muito legais, porque eu também quero me encontrar na história de outras pessoas. Inclusive, se precisar de alguém para conversar, já fico à disposição!
      Beijinhos e volte sempre!

  11. Ayana, faz muito tempo que não escrevo mas continuo acompanhando teu blog assiduamente. E tenho que concordar com o comentário do MPBorges: também não gostei do visual novo. Claro que algumas mudanças são sempre bem-vindas, mas esse novo layout do blog ficou bastante impessoal. Não consegui reconhecer “a tua cara” aqui (além da fonte ser muito grande). A versão anterior era muito boa e se aceitar uma sugestão diria para se manter naquela linha.

    Mas o mais importante é continuar nos brindando com sua arte das palavras.

    Grande beijo.

  12. Eu adorei o layout, acompanho a muito tempo seu blog e adoro cada historia contada!
    Você como um boa profissional do sexo e experiente que é poderia, fazer uns post com umas dicas pra nós mulherada, ou ate mesmo para os homens que tal?? iria adorar kkkkkkk

    Beijos de uma grande admiradora

  13. Delicia total você. Inteligente, tesuda e ainda por cima adora ser submissa. Sou alto nível, bom papo, astral. Adoro foder muito, dominar, falar sacanagem, dar palmadas, chupar gostoso, comer um rabinho com vontade. Necessito muito de sigilo, discrição. Como posso entrar em contato contigo? Meu email: Domination44RJ@hotmail.com

    Bjs gostosos

  14. Olá mocinha, conheci seu blog hoje, li alguns posts e gostei muito da forma como você escreve. Sou dominador há 16 anos e poucas vezes alguém me chamou a atenção assim. Creio que você tenha uma combinação explosiva que me atrai deveras: puta+submissa+inteligente+escreve bem… e apesar da puta me excitar, meu melhor estímulo ainda é ler algo bem escrito.
    Ainda não li muita coisa, mas você já conquistou um seguidor de seus posts…
    Você atende dominadores também?
    Um beijo.

  15. Gostei desse texto, pois adoro um cu… enfio dedo e chupo com vontade. Adoro brincar com uma bunda bem limpinha, deixo a mulher de quatro e, como um criança, fico experimentando, abrindo, enfiando… enfio um dedo, depois dois… três… abro, fecho… é… como uma criança curtido um brinquedo, nada mais.

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s