Putinha não diz ‘eu te amo’


A última vez que alguém disse que me amava? Faz alguns dias, eu acho. Só que eu não retribui. Até poderia. Estava me passando por sua namoradinha, dizendo coisas tolas sobre como aqueles instantes eram especiais. Nada de “eu te amo”. Achei que já havia encenado o bastante. Por mais que, para mim, tenha sido apenas mais uma noite de trabalho, atendendo alguém que talvez jamais volte a encontrar, fico preocupada em mexer demais com os sentimentos das pessoas. Criar expectativas quando uma relação parece ter começado errada. Não me parece um tipo de encontro verdadeiro. Eu mesma tenho dificuldade de me reconhecer. É como se as cenas de nudez fossem protagonizadas por outra pessoa: uma puta. Não a puta que sou, mas aquelas que esperam que eu seja. Algumas mais, outras menos carinhosas. Mais ou menos vulgares. Mais ou menos caladas. Mais ou menos envolvidas.

Mesmo transitando por tantas características, nenhuma se encaixa perfeitamente ao meu perfil. Falta autenticidade. E olha que eu bebo e fumo com frequência para me comportar de uma maneira mais espontânea. Revelo coisas que não deveria, embora quisesse revelar. O álcool é o culpado… ou seria o benfeitor? Vou me afundando em tantas mentiras que contar uma verdade é como subir a superfície para tomar ar puro. Só um pouco, pois se ficar muito tempo exposta, irei me sentir, no mínimo, desconfortável. O apelo sexual, aquela poderosa arma para me impor sobre os homens, vai se arrefecendo à medida que a apresentação pessoal se aproxima da realidade. Que sou puta, não tem como esconder. E isso também já carrega muita informação. Não preciso contar mais sobre minha vida, para que vejam o quanto ela é vazia e simplória. Quero me sentir a mulher perfeita. Se não é assim que me considero, então que os clientes achem que eu seja.

Anúncios

26 comentários sobre “Putinha não diz ‘eu te amo’

  1. Antes de tudo quero dizer que fico feliz por você ter escrito novamente. Já estava sentindo falta de ler a respeito de tua vida e de teus pensamentos.
    Entre tudo o que o li, eis o que mais me chamou a atenção: “Não preciso contar mais sobre minha vida, para que vejam o quanto ela é vazia e simplória.”
    Não consigo conceber a ideia de que a sua vida seja vazia e simplória, assim como não consigo imaginar que você não seja mulher perfeita. Teus textos demonstram tanto sentimento, descrevem a vida tal como ela é, seja para uma puta ou para uma “santa”, para os homens que a pagam e até para aqueles que condenam. A inexistência de eventos que podem ser considerados significativos difere-se da inexistência dos mesmos.

    Espero ler-te mais constantemente, e espero que esteja bem. Mantenho por ti um carinho especial.

  2. Olá, que bom que postou novamente. Tem a preocupação em desencadear sentimentos nos outros e machuca-los? Entendo e é legítima, também já fui machucado neste sentido, por garotas que conhecemos, admiramos e nos apaixonamos. É normal, o que é bom a gente gosta mesmo. Dói um pouco por sabermos que a relação dificilmente é possível, até que passa.

  3. Quanto medo de tornar-se si mesma, de descobrir-se profundamente, heim, florzinha querida… O que será que anda mexendo contigo? Não sei em qual situação exatamente, mas parece que tomou “ar puro”, assustou-se, e voltou para a concha (onde tem o domínio pleno da situação…). ;^) Sempre muito inteligente e sensível, não sei o porquê, mas sabe que – só para entrar em aparente contradição – me pareceu mais forte neste post. Algo me diz que vai se encontrar. “Ar puro” liberta…

  4. Ironicamente, sem o risco de se machucar, este filme chamado vida não vale um centavo ;)

    Engraçado como li este texto quase como se fosse uma música…ou um poema. O fim é mágico. Como sempre, parabéns por conseguir tão facilmente essa proeza de nos manter pendurados nas tuas palavras, princesa.

    Beijo.

  5. Eu li quase todos os seus posts, os de outras meninas, .. isso me deu uma ideia sobre como é a profissão de gp. Moro só e está difícil de sobreviver, estou pensando em fazer programas. Tem alguma dica para me dar .. devo fazer individual ou procurar uma casa de gps ? Como se proteger de algum homem que queira me machucar ?

    • Então Sofia, já faz muito tempo que eu trabalho numa casa de prostituição. Eu prefiro assim pela comodidade e segurança. Por outro lado, é preciso considerar a concorrência com as outras garotas da casa e, pelo menos no meu caso, acho que acabo ganhando menos do que se estivesse me prostituindo por fora.

  6. Oi, tudo bem!? Tenho 18 anos e é a primeira vez que entro no seu blog, sempre tive curiosidade de saber como é a rotina de uma garota de programa, e sinceramente, nossa, eu estou deslumbrado com seus textos, a forma que você pensa, em cada palavra sua consegui sentir o que você pensava no momento, sua vida é uma gangorra com altos e baixos, me imagino no seu lugar, nossa, isso realmente é louco, mas, ao mesmo tempo seus pensamentos tem uma beleza que não sei se você percebe, mas eu percebi que faz te admirar, por mais errada que seja a vida que você leve “não estou te julgando, mas apenas comparando com o que a sociedade pensa” é incrível, vejo em você uma mulher indecifravel, que esconde um mistério, mistério esse que homem nenhum talvez descubre, esse mistério me deixou muito excitado, mas acredito que o que deve ser mais triste pra você, é não ter alguém que te entenda, alguém que você possa conversar, e a julgar pelo que você passa, parabéns, por ainda resistir! A partir de hoje serei seu fan, con suas palavras você é uma artista!

  7. Leio seu blog desde quando era vestibulanda de medicina, a escolha das palavras e a exposição dos sentimentos é muito dura. Mas tudo isso bem colocado. Acompanho a história porque sou sonhadora, fico esperando que encontre forças dentro de si para abandonar os fantasmas do passado e encontrar um caminho de felicidade, e narrar tudo no diário quase sexual. É engraçado que quando escrevemos com melancolia soa tudo tão verdadeiro, mas quando usamos a felicidade, tudo parece tão superficial…

  8. Uau! É a primeira vez que encontro uma GP que escreve tão docemente! Garota você está de parabéns!! Indicaram o seu blog, no meu, e vim aqui espiar curiosa. Confesso que não me decepcionei. Parabéns pelo blog e pelos textos, gostei de verdade! <3

  9. Oi Ayana.
    Acho que passei os meus últimos dois dias totalmente absorta no seu blog. Li tudo, ou pelo menos, quase tudo. Eu sinto que eu poderia ser você, ou você eu, com alguns anos, dados geográficos e principalmente, encontros diferentes que despertaram outros caminhos de vida. A submissão. Algumas culpas e reflexões…. As relações familiares…
    Fiquei absolutamente admirada com tudo o que escreveu. É inteligente. Irônico. Erótico. Literário. Asqueroso. Sensivel. Delicado. Aguçado… Eu poderia escrever outros mil adjetivos pra essas suas múltiplas personalidades, flor.
    Morri de vontade de te conhecer, mas moramos em estados diferentes e acho que o mistério faz bem também…
    Por favor não deixe de escrever o blog! Quero muito poder acompanhar a sua trajetória de alguma forma… Parece até que você se tornou uma personagem… Esse espaço que você criou aqui é mesmo muito especial vadia! Escreva mais!

    Uma admiradora…

  10. Poxa Ayana! Pq sumiu assim? Pq não responde ninguém? Se eu soubesse como te achar já teria feito isso… depois de anos mantendo o blog vc faz isso! Tenho medo de que algo tenha acontecido com vc, ou pior, que nada disso seja real… de uma resposta apenas, por favor! :(

Compartilhe também sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s