Desafio da vida sexual de senhores de idade

Estou com 22 anos e muitas vezes faço sexo com senhores que teriam idade para serem meus pais ou até mesmo avós. A princípio, sentia-me consternada com esta austera mudança na faixa etário de meus parceiros sexuais. É difícil para qualquer jovem da minha idade imaginar aquele velho senhor simpático do mercadinho fazendo sexo todo mês com uma garota 30 anos mais nova do que ele. Assim, é preciso subverter alguns valores! Um indivíduo jovem e bonito é sexualmente atrativo para uma fêmea – não sendo bonito, que pelo menos seja jovem! E ao abrir de novo os olhos, eu me vejo rebolando no pênis de um velho senhor, enquanto o meu instinto reprodutivo me advertia que aquilo não era natural. E daí? Desde quando eu faço sexo com a intenção de me reproduzir? Também já mandei um foda-se para o status quo antes de alguém vir me importunar sobre a gravidade de me envolver com alguém bem mais velho.

Melhor deixar os transgressores se divertirem! Nestes casos particulares, considero o cliente muito mais subversivo do que eu. Pessoas jovens têm uma vida sexual mais ativa pelos ambientes que frequentam, pela sociedade não lhes cobrar tantas responsabilidades, por não serem casados e também, como já foi dito, por serem sexualmente mais atraentes e reféns de altas concentrações hormonais. Uma garota com o meu perfil, transando com um sexagenário, expressa uma imagem chocante para o espectador. O mais perspicaz dirá: “ela é uma puta!”. Ok, aplausos, encerra-se o assunto com uma leve condenação, porém quem vai ser rechaçado pelo povo é o coitado do Seu Zé, agora popularmente conhecido como “velho safado”. O julgamento popular não permite desvios dos valores morais por parte de outros fanfarrões como o Seu Zé, aposentado, marido, pai, avô e, sobretudo, velho. A apreciação do senso comum geralmente é muito maldosa: o vovô só pode ser broxa! Não gosto de generalizações, mas a minha assertiva é: o senso comum só pode ser burro!

(Sobre a autora, clique aqui)

Anúncios